gerúndio

Estou de férias de mim mesma e está sendo maravilhoso. Eu resolvi fazer isso depois que alguém mais intenso que eu me mostrou a delícia que é aproveitar o hoje e o que se sente. Eu vinha pendendo pra essa ideologia atual de vida, mas digamos que quem me mostrou foi como a gota d’água (aquela que devia cair no outro post). Às vezes parece que está dando errado, mas basta pouquíssimo para que eu me esqueça das coisas que podem dar errado e podem acontecer, e só viva.

E eu estou sentindo até a última gotinha, sendo, vivendo, trabalhando, sorrindo e pensando. Dormindo, acordando. Cansando, imaginando, sonhando, planejando (?)

Acho que um verbo ir do futuro do pretérito para o gerúndio é uma boa evolução, né?

Pena que assim eu nem fique tão inspirada, porque tudo que eu gostaria de dizer, fala sobr
e alguém, ou fala sobre um sentimento. E acho que falar do que se sente é bom quando é pra quem se sente. Mas eu faço isso, fica tranquilo. E tem gente que faz mais que eu.

!!

“Ninguém tem coragem de falar de amor se não for para alguém.” Barthes

então tá.

Vou ficar feliz então. Tá?
Mesmo que eu fique sem apetite, sem comer direito, que eu emagreça mais dois quilos. Mesmo que o meu jrnal seja veementemente criticado, mesmo que o meu cabelo esteja essa merda, mesmo que eu tenha descoberto que meu rosto é assimétrico, mesmo que eu esteja longe, mesmo que não adiante nada, mesmo que eu tenha duas matérias pra gravar numa tarde e editar pra manhã seguinte. Mesmo que eu me envolva sem fé alguma. Mesmo que eu tenha mil coisas pra fazer amanhã. Mesmo que eu saiba que vai ser cansativo.
Mesmo que anda me falte fé, não me faltam sorrisos e eu não vou lutar contra isso.
Eu acho que quarta-feira eu vou almoçar bem. Quarta-feira é um bom dia, vai ser véspera de feriado.

no mais, (atrasada) que seja bem vindo o Outono, né.
fica assim então.

futuro do pretérito

Miguel Franco
Imagina o seguinte:
tudo que você faz diariamente, começa a imaginar como seria se uma pessoa estivese com você. Todas as pessoas que passam por você no dia, você tenta encontrar alguma semelhança.
Fica imaginando o que ela diria quando você chegasse atrasado, o bombom que ela compraria pra te agradar, a serenidade com que te olharia quando você dissesse que não ia conseguir, como essa pessoa seria encantadora ao te dizer que você podia e ia consegur, e ao te dizer tantas outras coisas. Como seria se você almoçasse com ela amanhã, como seria se vocês saissem pra tomar uma cerveja hoje. E o beijo que daria no fim do dia, e no início do outro. Como seria viver isso. Como seria poder viver isso. Como seria se essa gota d’água caísse.
Mas é que sempre eu fico pensando em como seria viver. Viver mesmo, eu nunca vivo.

Eu voltei a pensar muito, e em tudo e no amanhã,
e voltei a ficar um pouco triste. porque acreditar é muito difícil,
e é por isso que tão poucas pessoas são felizes, de fato.

verde

“Tenho aprendido coisas com ele.
Nada muito sensacional,
coisas simples,

pequenas alegrias.”
Caio Fernando Abreu

E se esse ano for tudo que eu não imaginei pra mim? (e for melhor…)

E se houver mesmo um encanto, se houver mesmo vontade e pressentimentos?
E se houver uma força estranha e sem nome que une? E se houver amor e se tudo que eu pensei que fosse o amor não for? E se eu estiver descobrindo que estive vivendo uma coisa que eu inventei nos últimos cinco anos? E se eu estiver me tornando livre? Mas e se eu estiver cometendo os mesmos erros? E se tudo isso for um desperdício? Em compensação, e se for o maior “investimento” da minha vida nesses quase vinte e dois anos de idade?
E se for tudo só uma impressão, uma sensação, um arrepio? se for tudo uma ilusão? se for tudo um monte de perguntas sem resposta?

e se isso tudo for uma esperança?
o que eu vou fazer se for só isso?

“Uma vez, aliás, agora é que me lembro,
uma esperança bem menor que esta, pousara no meu braço.
Não senti nada, de tão leve que era. ”
(Uma esperança – Clarice Lispector)

Nuno Macedo

"o delicado essencial"

“O tempo então era Deus?
Nunca antes havia se questionado sobre isso.
Esperar era então a medida de quem acreditava em um Deus e tinha fé…
Não sabia esperar, não sabia acreditar em Deus, embora acreditasse.”
Sobre o tempo… (janeiro/2009)

Eu não sei acreditar com todo o meu ser que alguma coisa que eu quero muito vai acontecer e acho que isso que eu não sei fazer é ter fé. E acredito que eu preciso mais disso. O tempo inteiro parece que recebo sinais sobre isso. Eu acredito em Deus, acredito muito, mas essa confiança de que vai dar certo… como eu queria ter isso!! Às vezes eu também fico com pena de desperdiçar fé com alguma coisa que nem é tão importante… Mas fé não tem medida, né? Então posso ter com o que eu quiser, desde que eu, além de acreditar, esteja a disposta a lutar por isso…
Eu preciso acreditar mais nas coisas e em mim, desesperadamente; como se só me restasse isso (porque talvez só me reste isso mesmo). E eu também preciso ter paciência, preciso acreditar esperando… O tempo todo, esperar acreditando.

*P.S.: e a música de hoje é “Bubuia“, da Céu. (YouTube)

só isso.

O importante é que faça bem, independente do que aconteça, de quem esteja em volta, de o que essas pessoas estão fazendo. O importante é sentir isso, tirar o melhor, sorrir o máximo possível, ter bons sonhos, acordar bem disposta, ter um almoço agradável mesmo com o bife cru, receber um abraço apertado, acertar um rodopio e uma pausa e receber um sorriso. E dar mais um monte deles; e gerar mais um. E assim sucessivamente.

“o que importa mesmo é o que você pensa enquanto toma banho.”

(é só isso que faz mesmo a diferença … e todo o resto.)

prece

Deus, me dê a tranquilidade necessária para que eu consiga tirar o doce de tudo o que há nesse sentimento e que consiga transformar em algo doce também para o outro. E que eu não tenha medo de compartilhar e dizer o que precisa ser dito, nem de escrever, nem de enviar, nem de sentir e, principalmente, que eu não tenha medo de acreditar.
E que eu tenha serenidade para todos os dias conseguir tirar o que dele houve de melhor e conseguir dormir com a paz de espírito que eu estou sentindo agora, e acordar com a disposição com que eu estive durante o dia. E que eu também consiga passar adiante, sem sufocar, que eu consiga sentir, sem atropelar, que eu consiga receber (que eu receba), sem me precipitar. Que eu consiga cativar.

Que eu ame.

Que eu consiga agir com calma e sorrir sozinha, de olhos vendados, descendo o calçadão, mesmo que o próximo passo seja desconhecido. E mesmo que o bife esteja cru e que eu esteja com muita dor nas costas…

Amém.