compensação

É importante sempre ter um gosto bom, sempre ter um pedacinho da parte mais gostosa em todas as garfadas, até o final. Porque às vezes você vai ter jiló e picanha de almoço e vai ter que comer tudo. E de nada adianta colocar jiló com picanha no prato, se você come a picanha toda no começo; depois você tem que sentir o amargo do jiló, que faz até você esquecer do prazer que foi comer a picanha (e que injustiça isso!)
Há de se ter uma balinha pra chupar depois da dipirona em gotas, há de se misturar o arroz que está sem sal com o feijão que ficou salgado demais. É preciso misturar sempre o que não está ou não é tão bom com um pedaço generoso do que há de melhor. Faz-se isso para o final.
No fim o gosto na boca tem que ser bom, não interessa se distribuiu a parte boa ou se deixou ela toda pro final. Mas é melhor que seja distribuída, para que não haja maiores sofrimentos.
Eu preciso dessa compensação.
Há de se ter esse cuidado, de mesclar bem o saboroso com o que pode ser amargo ou desagradável. Senão nunca se aprende a digerir o jiló.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s