gavetas

foto // josé de holanda
passamos anos adiando um gesto que, por dia, não nos causaria tanta dor ou não levaria tanto tempo. acumulamos memórias, pensamentos, papéis velhos, rascunhos. tantas coisas que em determinados momentos optamos por guardar. o resultado são gavetas transbordando de lixo. de rascunhos, de planos e vidas que já se concretizaram ou já deixaram de ser possibilidades. 
gavetas pesadas que mal se aguentam de memórias desnecessárias.
então eu tive essa coragem de rasgar tudo que, desde a última vez, fiquei com medo de perder. muitas lembranças que nem existiam mais voltaram. algumas eu guardei, outras joguei fora e talvez não voltem. mesmo se forem importantes, talvez não voltem. elas se renovam.
muita coisa acumulada, pesada. passado acumulado que se tornou lixo e eu continuei guardando, com a esperança de que um dia fizesse a diferença. até hoje não tinha feito. vai tudo pra reciclagem, como deve ser.