exaustão

a dor existe para ser sentida. não mata.
então quando ela vem, quando ela se desencadeia em mim, não tento me desvirtuar dela. Não tento me distrair para esquecê-la.
não.
eu quero a sensação de estar viva, sentindo a pulsação dessa dor nas minhas terminações nervosas. quero gastar, conhecer cada milímetro e me acostumar com seus efeitos. quero que ela doa até o máximo que ela puder, para assim eu poder partir para outra, livre, enfim. sem o medo de que essa dor volte a me surpreender com uma fisgada diferente. toda dor deve ser espremida e sentida até a última gota.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s