espontânea

Algumas sementes simplesmente não germinam, por mais que a gente cuide e regue, por mais que a gente queira. Poucos sabem, mas muitas estão dormentes. É mais comum do que se pensa. Uma qualidade natural, uma característica sagaz que muitas possuem com a única e incrível finalidade  de sobrevivência. Permanecem em estado de dormência, para se manterem armazenadas na natureza por mais tempo e somente quando o ambiente é realmente propício para se desenvolverem, elas se desenvolvem… uma verdadeira inteligência emocional.

Pois era o oposto disso. A semente que quero descrever aqui era um tipo que bastava deixar acidentalmente num canto qualquer de terra e chover um pouquinho que já ia logo brotando. Uma mudinha ia subindo, desajeitada mesmo, no ar mesmo, e depois se agarrava ao primeiro pedacinho de terra que encontrasse. Brotar era extremamente fácil. Não carecia fertilizantes, cuidados muito especiais. Não.  Qualquer distração ou acidente, e já estava se desenvolvendo, criando caule e força. Espontânea. Já queria ser árvore.

E foi exatamente assim que germinei da última vez.

semente

ser (humano)

ser não é uma tarefa fácil, que ninguém se engane. e a felicidade, creio, mesmo que não passe de momentos felizes sobrepondo outros tantos momentos, ainda é uma questão não tão simples de ser. a cidade e as pessoas determinam o que você é? muitas vezes ela me impede de ser. e adiamos perigosamente o momento em que iremos parar verdadeiramente diante de nós mesmos para ver o que aconteceu e o que nos tornamos (ou o que estamos nos tornando).
Ontem uma Lagarta cruzou o meu caminho querendo saber quem eu sou. (sabe?) e parafraseando a Alice, quando acordei ontem de manhã, eu sabia quem eu era, mas acho que já mudei muitas vezes desde então. e talvez a verdadeira busca do ser humano oscile entre SER e saber que se É..